9 de julho de 2017

O surdo-gago, a identidade de Jesus e você | Mensagem em Marcos 7.31-37

    Mais uma vez Jesus faz uma obra maravilhosa. Ele cura um homem que era surdo, com muita dificuldade para falar alguma coisa (gago).
Como dissemos outras vezes, Marcos é um evangelho que destaca Jesus em ação.
A forma como o evangelho foi escrito mostra Jesus sempre indo de um lugar a outro realizando coisas, seja ensinando, pregando ou curando.
Os milagres não beneficiavam apenas as pessoas que as recebiam, mas era um cumprimento profético acerca de Jesus como o Cristo/Messias (Ungido) de D eus.
A primeira parte do evangelho de Marcos enfatiza as realizações de Jesus que apontam para a sua identidade e a segunda parte mostra qual o propósito de Jesus.
Em outras palavras, toda a vida e obra de Jesus em Marcos é para nos mostrar quem Ele era (e continua sendo) e o que o que Ele fez para nos salvar.

Esse milagre contrasta com o milagre anterior. Com a mulher siro-fenícia houve muita relutância para Jesus atender o pedido de libertação da sua filha.
Enquanto com este surdo ele foi de pronto para responder: “tira-o do meio da multidão, toca seus ouvidos, cospe e toca na língua, olha para o céu, suspira e diz: “abre-te!”
Vemos em outros milagres que Jesus não precisou fazer essas coisas, Ele tem poder de ordenar e as coisas acontecerem, mas talvez aquele homem surdo-gago precisasse.
A linguagem dos surdos é não verbal, talvez não houvesse uma língua de sinais como temos. A linguagem principal dos surdos – e por isso mudos – é não verbal. Talvez, por isso, Jesus procedeu daquela forma.
Ele fala com o surdo através do tato e da visão; e talvez ainda com a leitura labial de Jesus, pois Ele falou apenas uma palavra: efatá.
Esse suspiro de Jesus também não era comum.  Foi como um gemido, quando alguém está sentindo dor.
Seria isso por que Jesus se identifica com o drama daquele homem? Pode ser. Mas também poder ser porque há uma identificação mais profunda estava acontecendo: havia um custo maior para Jesus curar aquele homem.
Apenas UMA PALAVRA (grega: mogylalos) é a tradução de “que também falava com dificuldade” ou “gago”
É a mesma palavra traduzida no Antigo Testamento grego (versão Septuaginta - LXX) que está em Isaias 35.6.
Essa palavra é usada somente aqui em Marcos e em Isaias 35.
Vejamos o texto de Is 35.4-6: “digam aos desanimados de coração: "Sejam fortes, não temam! Seu Deus virá, virá com vingança; com divina retribuição virá para salvá-los". Então se abrirão os olhos dos cegos e se destaparão os ouvidos dos surdos. Então os coxos saltarão como o cervo, e a língua do mudo cantará de alegria. Águas irromperão no ermo e riachos no deserto.”
Marcos está dizendo: “os cegos estão vendo? Os surdos estão ouvindo? Os mudos estão falando e louvando com suas línguas?”
Quem estava vendo todas essas coisas acontecendo poderia concluir: Deus veio como está prometido em Isaías 35, Deus está em nosso meio. Esse Deus é Jesus de Nazaré.

Mas há um detalhe nesse texto que nos leva a perguntar: onde está a vingança?
Ele não veio trazer vingança, Jesus veio para receber a vingança do Pai em si mesmo na cruz!
Por isso clamou na cruz: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”
O verso de 2 Coríntios 5.21 explica muito bem isso: “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.” (cf. Rm 8.3).

Finalizando
Esse texto e o da mulher siro-fenícia nos mostram que Deus é aquele que abre os caminhos para nos aproximar dele. Jesus é o Caminho.
Ele foi a Tiro e Sidom (na Filístia). Foi Ele quem quis passar pelas terras de Decapólis (região que o havia rejeitado antes - Gadara).
Jesus está aqui rompendo as barreiras de Israel se dirigindo aos gentios, fazendo uma abertura para todas as nações.
E o propósito de todo agir e mover de Deus nesse mundo é para que pessoas sejam resgatadas da condenação eterna e Seu nome seja glorificado!
Aquelas pessoas ficaram maravilhadas com o que Jesus fez. Como está escrito em Mateus, eles glorificaram ao Deus de Israel.

Aplicação
James Hastings[1] diz que há 4 classes de pessoas:
1. Há pessoas que não veem nada em Cristo para admirar.
2. Outros admiram o que Cristo faz, mas não admiram quem Ele é.
3. Há muitos que O admiram, mas não O adoram.
4. Existem as pessoas que não somente o admiram, mas o adoram de todo coração.
A vida só valerá à pena se você compreender plenamente a mensagem do Evangelho: quem é Jesus e o que Ele fez por nós!
Que classe de pessoa você é?
Robson Rosa Santana



[1] The greek texts of the Bible, St. Mark.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você pode comentar aqui se quiser